versão mobile
.Contate-nos!
T. +351.229 385 060
e-mail

Tire as suas dúvidas acerca da web

Encontre a resposta a algumas questões genéricas relativamente à web (internet) e presença no mundo online.
Esta página resulta da experiência da DQA e estará em constante atualização. Senão encontrar o que procura contacte-nos.
1. Como faço para o meu site aparecer na 1ª posição do Google?
2. O que é SEO?
3. O que são e para que servem as palavras-chave?
4. Agora posso aceder à net em diferentes equipamentos. Como afeta o meu site?
5. Responsive design: o que é isso?
6. CMS, Backoffice, gestão de conteúdos. Tantos termos, o que significam?
7. Quando optar por uma solução com gestão de conteúdos?
-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------

1. Como faço para o meu site aparecer na 1ª posição do Google?
Aparecer bem posicionado numa pesquisa do Google ou outro motor de pesquisa depende de diversos fatores os quais não são totalmente revelados pelas empresas responsáveis pelos motores de pesquisa e podem ainda ser afetados por outras questões, como por exemplo, localização geográfica de quem pesquisa, pelo que os seus concorrentes fazem e pela forma como a comunidade "online" valoriza o seu site -quanto mais acessos ao seu site e mais partilhas de páginas de seu site houver, maior a probabilidade de obter um bom resultado numa pesquisa.
Existem, no entanto, uma série de fatores que são conhecidos e devem ser trabalhados, a que vulgarmente se chama: SEO (search engine optimization ou optimização para motores de pesquisa).
Estas técnicas utilizam diversas ferramentas que são aplicadas em todo o ciclo de vida do site pelo que quanto mais cedo houver preocupação na sua incorporação melhor, na situação ideal, desde o design e desenvolvimento do site.
Alguns exemplos, valorizados pelos motores de pesquisa:
.o código não deve conter erros e deve respeitar as boas práticas w3c;
.o site deve ser userfriendly, ou seja, a navegação e os próprios conteúdos devem ser pensados para o utilizador;
.os conteúdos devem ser otimizados para o target que a empresa pretende atingir, sendo que os conteúdos são muito mais do que os textos do site. É essencial otimizar também com as palavras-chave o título da página, os menus, os títulos "dos textos", as descrições dos sites, a identificação de imagens para os motores de pesquisa (que não leem imagens só texto),..., sendo que algumas das questões só são possíveis se combinados com a forma como o site está desenvolvido.
.Este trabalho é contínuo, nas palavras da Google: "Não abandona a sua loja durante 6 meses, pois não? Então também não o deve fazer com o seu site." Manter o site atualizado é essencial: partilhe informação relevante para o seu cliente -vende máquinas de lavar a roupa? Ensine boas práticas a ter na lavagem da roupa; ou Dicas de como poupar nas lavagens. -; anuncie novos produtos, promoções ou ofertas especiais, o essencial é não "abandonar" o site. E lembre-se otimize os conteúdos para o target que pretende.
Finalmente interessa referir que a posição nº 1 não pode ser prometida por nenhum SEO, como a própria Google alerta no seu site.

2. O que é SEO?
SEO é o acrónimo da expressão inglesa "Search Engine Optimization". Na prática é um conjunto de técnicas que permite a otimização de uma página web, ou site completo, para que seja mais facilmente lido e compreendido pelos motores de pesquisa (como o Google, o Bing ou o Yahoo,…), permitindo assim melhorar o posicionamento de um site numa página de resultados quando é feita uma pesquisa.
Vários estudos apontam que mais de 50% das entradas num site se fazem a partir de pesquisas em motores de pesquisa, daí a importância dos sites terem um bom resultado.
Apesar do Google e outras empresas de motores de pesquisa não divulgaram os fatores que influenciam o posicionamento numa página de resultados, estão identificadas uma série de boas práticas que devem ser observadas na construção de um site. Alguns exemplos: boas práticas na programação, otimização de conteúdos (visíveis ao utilizador e não só), relacionamento do site com outros sites (por exemplo, partilhas nas redes sociais ou referência nos sites).

3. O que são e para que servem as palavras-chave?
Uma palavra-chave é uma palavra que resume os temas principais de um texto. É um termo que identifica ideias e temas de especial importância no texto em questão. Sendo que um único parágrafo pode conter várias palavras-chave.
Na internet palavra-chave é mais lato pode estar-se a referir a expressões e não especificamente a uma só palavra, mas o conceito é similar: são os termos principais que determinam qual é o assunto de uma página de internet
Assim, na web as palavras-chave assumem especial importância porque são o ponto de partida das pesquisas, ou seja, quem pesquisa utiliza termos que os motores de pesquisa vão tentar encontrar em todos os sites disponíveis e, de uma forma muito simplista, dar uma hierarquia que determina a posição de cada site na pesquisa (se o seu site aparece em #1 ou #500...). Do ponto de vista do site "os termos de pesquisa" devem ser as palavras-chave utilizadas no site não só no texto, mas também em "componentes" do site considerados importantes pelos motores de pesquisa: headers (títulos, identificados no código como tal), títulos de página, urls,... e claro no próprio texto. Considerando que uma das principais formas de acesso aos sites são os motores de pesquisa na prática as palavras-chave revelam-se como um dos aspectos cruciais em SEO.
[Saiba mais em: SEO e 1º lugar no Google]
Algumas dicas:
• os textos nos sites devem fazer sentido, ou seja, não vale a pena encher uma página com diferentes palavras-chave que os motores de pesquisa vão perceber que a página não é interessante para o utilizador
• apesar de o termo referir "palavra", na web é mais vantajoso a utilização de "expressões-chave". Na realidade raramente se faz uma pesquisa só com uma palavra e as pesquisas são cada vez mais refinadas.
Um exemplo, quando se procura um restaurante, normalmente adicionam-se atributos que permitam direccionar a pesquisa para o que se pretende naquele momento: restaurante porto, restaurante italiano, restaurante italiano porto,... ou seja, dependendo do público-alvo pode ser interessante/ necessário trabalhar mais do que 1 expressão no seu site.
• os motores de pesquisa rastreiam e indexam todas as páginas do seu website, por isso, pode dedicar (e optimizar) cada página para 1 produto ou serviço diferente (se tenho um rent-a-car que também faz serviços de oficina devo ter uma página diferente do website -com URLs próprios- dedicada a cada serviço.)
Pergunte-nos como pode melhorar o seu site.

4. Agora posso aceder à net em diferentes equipamentos. Como afeta o meu site?
Os dispositivos de acesso à internet cada vez são mais diversificados, assumindo o acesso móvel (tablets/ ipads e smartphones) cada vez mais importância. Em 2012, estes tipos de dispositivos já representavam 10% do tráfego Internet em todo o mundo.
Esta realidade representa um novo desafio para as empresas e seus sites: Onde será que o nosso (potencial) cliente irá aceder ao nosso site?
É preciso assegurar que o site responde de forma eficaz independentemente do tipo de dispositivo de acesso e que o (potencial) cliente consegue aceder à informação que pretende, em qualquer lugar.
É também um desafio para os designers e programadores que nos seus projetos têm que pensar o site sem saberem qual o tamanho do ecrã de acesso: PC, portátil, ipad, iphone?...
Existem diferentes abordagens, que podem incluir o responsive design, soluções específicas para mobile, um só layout pensado para os ecrãs de tablets,… pergunte-nos qual a melhor para o seu caso.

5. Responsive design: o que é isso?
É uma técnica de website design que permite que um só site se adapte ao dispositivo de leitura em que é visto. Este tipo de sites redimensiona-se e adapta-se ao tamanho do dispositivo em que é aberto, através do rearranjo do layout, redimensionamento de imagens, alteração de tamanho de fontes, etc. Neste caso existe só um URL, só um código do website e pressupõe-se que todos os conteúdos estão disponíveis em todos os dispositivos.
As vantagens apontadas ao responsive design é a existência de um só URL, a facilidade de atualização de conteúdos e que todo o site (leia-se informação escrita) está disponível em qualquer acesso.
Aqui, na DQA, gostamos de um mix das 2 abordagens: ter um site clássico, que esteja adaptado a ipads/ tablets (que são formatos mobile). E ter um site especificamente pensado para as particularidades dos dispositivos móveis mais pequenos (smartphones), permitindo assim a optimização, quer a nível de código quer de conteúdos apresentados, para estes dispositivos onde os ecrãs são manifestamente mais pequenos e o tipo de ligação à web aconselha sites mais leves.
Em qualquer caso os layouts podem ser dinâmicos, adaptando-se à orientação dos dispositivos (vertical ou horizontal).
Por outro lado a leitura de um ou de outro site pode ser feita a partir de um só URL sendo o redireccionamento para a versão reduzida, automático tendo como base o tamanho do ecrã do dispositivo. [Conheça alguns dos nossos trabalhos.]

6. CMS, Backoffice, gestão de conteúdos. Tantos termos, o que significam?
Quando se refere que um site tem Backoffice, ou CMS (Content Managmente System) ou gestão de conteúdos são sites que são construídos sobre uma aplicação que permite aos utilizadores atualizarem o site, mesmo sem conhecimentos de programação. Naturalmente que o acesso ao backoffice -ou seja, a área do site que permite a sua edição- está sujeito a esquemas de permissões com password, assegurando a integridade da informação publicada.
No mercado estão disponíveis várias aplicações de gestão de conteúdos, como por exemplo, a solução .xtend desenvolvida pela DQA. [Saiba mais sobre esta solução.]

7. Quando optar por uma solução com gestão de conteúdos?
A maior vantagem de usar um sistema de gestão de conteúdos é que é muito mais fácil manter e atualizar qualquer informação: notícias, imagens, textos, menus, catálogo de produtos/serviços, agenda de eventos, promoções... Qualquer pessoa, mesmo sem experiência em programação, pode facilmente manter e atualizar o site. E isto com acesso em qualquer posto, basta que tenha acesso à internet e um login ao backoffice do site.
Recomendamos a opção por uma solução com gestão de conteúdos quando uma empresa tem uma política de comunicação ativa e pretende atualizar frequentemente o site, ou um catálogo/ portfólio muito extenso e/ou com necessidade de atualizações frequentes.

dot xtend services logo
tablet adapted